31 de outubro de 2011

Nos 125 anos da Ponte D. Luiz

A 31 de Outubro de 1886 foi inaugurado oficialmente o tabuleiro superior da Ponte Luiz I, conhecida entre os portuenses como Ponte D. Luis. O tabuleiro inferior apenas foi inaugurado em 1887.




Fora em 11 de Agosto de 1880 que se dera a abertura do concurso público para a concepção e construção de uma ponte que fizesse a ligação entre as duas margens do Douro aos dois níveis: junto ao rio e superiormente, entre as escarpas.
O tabuleiro inferior destinava-se a substituir a Ponte D. Maria II, inagurada em 1843 e popularmente chamada Ponte Pênsil mas que já não se adequada ao crescente tráfego entre as duas margens do rio.

O concurso para a nova ponte recebeu 12 propostas, vindo a ser escolhida a apresentada pela empresa belga Societé Willebroek com projecto de Teophile Seyrig que havia já trabalhado na cidade, no projecto da Ponte Maria Pia em 1877. A ponte D. Luis pesa 3045 toneladas e possui 2 tabuleiros com 8 metros de alegura cada um. O superior tem uma extensão de 355 metros e o inferior de 175 metros.


No seu piso superior, logo após a inauguração da ponte usava-se o americano puxado a mulas como transporte público, substituído anos mais tarde pelos eléctricos amarelos, que por sua vez vieram a dar lugar aos troleys, aos autocarros e presentemente ali circula em exclusivo o metro.
Durante muitos anos, até 1943 era a ponte portajada, chegando a usar-se um sistema de fichas próprias que eram também aceites como boa moeda em diversos estabelecimentos comerciais.



Reza uma lenda popular que a Ponte apenas se chama Ponte Luiz I e não Dom Luis por o rei não ter estado presente na sua inauguração, pelo que o povo assim chamara á ponte como «vingança» pela suposta falta de respeito. Bom, na verdade, a haver falta de respeito é pela verdade histórica como qualquer portuense sabe. Todos designam a ponte como de D. Luis embora na placa que encima a entrada do tabuleiro inferior não conste o Dom. Seria portanto o povo a dar essa consideração e não a tirá-la, pelo que morre logo aqui aquela tola  lenda.
E isso nada tem de inédito. Uma coisa é o oficial onde se respeitam os pergaminhos da cidade, outra o carinho  popular pelos visados.  Com efeito, a cidade do Porto, burguesa por vocação e nascimento, nunca fora muito dado a nobrezas e titulos nobliarquicos. Assim é que a ponte de caminho de ferro também é simplesmente Ponte Maria Pia, embora esta fosse a Rainha esposa de D. Luis I, ambos presentes na inaguração....E o bonito velódromo existente nas traseiras do Paço Real, actual Museu Soares dos Reis, era singelamente Velodromo Maria Amélia, sendo esta senhora não uma dama da vizinhança, mas a princesa consorte do então principe e futuro rei D. Carlos. Portanto, a tradição de não se designar e não constar  das placas de inaguração o Dom vinha já um pouco de trás. O que fica fica bem à história da cidade e se espera que não venha a um dia a claudicar perante algum  modernaço Prof. Dr.....

É a  D. Luís um dos ícones da cidade, com o seu ferro rendilhado, sendo fácil e universalmente reconhecida como a ponte do Porto.




4 comentários:

Armando Pinto disse...

Um tema muito pertinente, que ficava bem na comunicação nacional, mas como de costume passou ao lado... Parabéns pela oportuna lembrança e logo com um texto tão enriquecido e deveras elucidativo.

Anónimo disse...

Parabéns por se terem lembrado desta importante efeméride. O que é escandaloso é a ausência de interesse (ignorância ?) por parte das autarquias do Porto e Gaia. Não houve comemorações, a efeméride foi completamente ignorada, e a única iniciativa pública conhecida (e que ficará para a posteridade) foi um artigo n'O Tripeiro: António Vasconcelos e José Manuel Lopes Cordeiro (2011), “Ponte Luís I foi inaugurada em 31 de Outubro de 1886. Ex-libris do Porto faz 125 anos”, O Tripeiro, 7ª Série, Ano XXX, nº 11, pp. 328-329.

Anónimo disse...

Tendo como interesse a cidade do Porto, particularmente "o Porto Antigo", encontrei neste blogue o que precisava. Boa e apelativa apresentação, textos elucidativos e de fácil leitura, imagens extraordinárias, um blogue impar de cultura e conhecimento do nosso Porto. Tudo isto para exigir a existência deste blogue e a sua contínua procura da história da cidade do Porto. Parabéns e bem haja.
[Carlos Lemos]

Anónimo disse...

Gosto de ver estas coisas sobre o Porto, e a ponte Luis I é um ex-libris. Tinha ouvido dizer, não sei se estarei certo, que o nome dado à ponte Luis I, e não Dom, foi pelo facto de já haver uma ponte lá para o Ribatejo que se chamaria Ponte de Dom Luis I.

(antonio)