11 de dezembro de 2013

O Teatro Nacional Portuense



Inaugurado em dezembro de 1913, foi uma iniciativa de dois empresários: José Pinto Roque e César A. Cunha Santos. Ficava situado na rua Elias Garcia.

Da sua descrição, destacamos:

 «A escadaria quer conduz ao salão de espectáculos, ornamentada com artísticos varões de metal amarelo, é branda e suave. Uma vez no vestíbulo da entrada já ahi se iniciavam os trabalhos artisticos que na sala teem maior relevo.


As artisticas pinturas dos srs Ribeiro & Moreira são do melhor que se tem visto em casas d'esta natureza.



A iluminação profusamente distribuida por milhares de lampadas eletricas não tem egual em nenhum teatro portuguez. Dir-se-ia que estamos em Paris ou Madrid onde os teatros capricham em tudo quanto se referem a iluminações.



O teatro Nacional é em forma de ferradura, em uma ordem de camarotes e três de filas de balcão.

A plateia, que é das maiores em teatro portuguez, ocupa todo o espaço que vae do palco, que é também vasto e amplo, a gradaria que circunda os logares de geral bastante comodas a que não faltam até as almofadas fôfas e macias.


Em excelentes condições de segurança, não há o menor receios de qualquer acidente.Tem inumeras portas em todas as paredes do vasto salão, de forma que, em poucos minutos, se esvasiaria das mil e quinhentas pessoas que lá podem caber.(...) 



É uma linda sala de espetaculos como poucas temos visto até agora. A definição artistica da sua iluminação, os reposteiros e estofos dos camarotes, verdadeiramente luxuosos, tudo é, enfim, de molde a felicitarmos a empresa por ter dotado a capital do norte com um teatro que é uma maravilha»


in revista Ilustração Portugueza de 22 de Dezembro de 1913.

Em 1923 seria objecto de obras e reinaugurado como Teatro Rivoli.

2 comentários:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Muito interessante este seu post.
Gostei de tomar conhecimento do
mesmo.
Venho desejar-lhe a si
e sua Família um Feliz Natal.
Tudo de bom.
Bj.
Irene Alves

Jorge Portojo disse...

Abriu-se a Avenida, desapareceram ruas e casas como estas.